Voltar para notícias

Seletivas STU, a briga dos amadores pelas vagas

Créditos: Renata Lopes

Os amadores foram grande destaque no Oi STU Open. Além de um alto nível de skate, chegaram junto inclusive nas finais, onde Lucas Alves garantiu o pódio para o Brasil.

 

De maneira espontânea, mas muito motivadas pela participação de seus representantes na maior competição de skate da América Latina, as Associações Estaduais se organizaram para criarem as “Seletivas Estaduais STU”.

A participação dos amadores dependia dos campeonatos homologados pela CBSK em 2016 e os skatistas tiveram o Circuito Paranaense,  o Paulista, o do Rio de Janeiro, o Baiano, o Paraibano , o Amazonense, o Campeonato Mineiro e o Campeonato Nordestino – NSB – Nordeste Skateboard, que rolou em Natal. O que liberou o passe dos bem classificados para o STU Open.

Com esses estados garantidos, a CBSK pode remanejar 3 vagas para cada Seletiva Amadora, já que a competição também rendia pontos para o ranking brasileiro amador. A primeira aconteceu no Espírito Santo, realizada pela Associação Capixaba, em fevereiro. Em março, o Piauí, o Maranhão e o Pará, se uniram para realizar a seletiva da FEPISK, a Federação Piauiense de Skate. Assim como a Federação Gaucha e a da cidade de São Leopoldo também se juntaram no mesmo mês. O Distrito Federal e Santa Catarina tiveram as suas Seletivas bem próximas ao evento, em abril.

O primeiro dia de disputas do Oi STU Open começou com o Round 1, que contou com 12 baterias de seis skatistas. Do total de 12 vagas para o Round 2, três eram destinadas a atletas de fora. Os nove melhores brasileiros e os três melhores estrangeiros classificados, então, avançaram ao Round 2, no qual competiram com os 12 melhores amadores pré-classificados nas seletivas estaduais. Foi ao final deste segundo round, de quatro baterias com seis participantes, que Luiz Neto garantiu a melhor pontuação, seguido por Tiago Picomano (Belo Horizonte-MG) e Victor Bob (Recife-PE).

 

“Não esperava esse resultado. É uma felicidade imensa. É mais legal ainda assim, quando você não espera que vai acontecer. Muito grato por estar aqui e conquistar o respeito de todos. A expectativa daqui pra frente é a mesma: andar de skate com os amigos e me divertir”, comentou o vencedor, que se classificou em oitavo no Round 1 e detonou no segundo round.

Entenda o Oi STU Open:
As disputas do Oi STU acontecem em formato de Jam Session Ordenada, onde os competidores se alternam na pista em ordem pré-determinada. Cada competidor poderá tentar uma manobra por vez e, acertando ou errando, deve esperar todos os outros competidores tentarem suas manobras para poder tentar sua segunda manobra e assim por diante. A classificação final é determinada de acordo com a pontuação obtida pelo atleta no somatório geral das baterias de cada round.
“Esse é um formato dinâmico e moderno, que vem sendo usado pela World Cup Skateboarding (WCS) já há algum tempo e que se assemelha às sessões do dia a dia do skatista, onde um determinado skatista tenta uma manobra e, na sequência, cede o lugar para que um amigo tente sua manobra. Ou seja, esse formato acaba aproximando a competição da prática diária do esporte. Isso gera um dinamismo para o evento, pois agiliza as sessões e dá oportunidade para que mais skatistas participem em um mesmo cronograma de disputa”, analisa Ed Scander, vice-presidente da Confederação Brasileira de Skate (CBSK).

Notícias Seletivas Estaduais:

ACSK – Associação Capixaba de Skate
Seletiva Capixaba
FEPISK – Federação Piauiense de Skateboard
Seletiva PI, MA, PA
FGSKT – Federação Gaúcha de Skate
Seletiva Gaucha 
FCSKT – Federação Catarinense de Skate
Seletiva Catarinense
FSKTDF – Federação de Skate do Distrito Federal e Entorno
Seletiva DF

Veja a galeria das classificatórias, com as fotos Pablo Vaz: 

Mais Notícias